Família

Rutaceae

Nome Comum

tangerineira

Origem

Ásia (China e Conchinchina).

Tipo de Origem

alóctone

Autor

Tenor

Descrição

Árvore cultivada, pequena com 2 a 6 m de altura, provida de raminhos delgados. A copa é arredondada, frequentemente sem espinhos. As folhas são sublanceoladas de 4 a 8 cm de cor verde pouco intensa. As flores são brancas e aromáticas. O fruto (hesperídio) com 5 a 7,5 cm, deprimido-globoso, de epicarpo fino, alaranjado-vivo em maduro e com polpa doce, que se desprende facilmente.

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

árvore

Ínicio de Floração

abril

Fim de Floração

maio

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

solitária

Cor da Flor

branco

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

alterna

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

lanceolado

Tipo de Fruto

hesperídio

Consistência do Fruto

carnudo

Maturação do Fruto

setembro

Habitat

Difícil de determinar devido à cultura intensiva da espécie.

Observações

O restritivo específico, deliciosa, é alusivo ao sabor do seu fruto, muito apreciado na alimentação humana.

Os citrinos são originários das zonas tropicais e subtropicais do continente Asiático e do Arquipélago Malaico. 

A cidra (Citrus medica) foi a primeira espécie a ser introduzida na Europa e na Península Ibérica, tendo as outras espécies de citrinos vindo a ser introduzidas posteriormente: a laranjeira azeda (Citrus aurantium) e o limão (Citrus limon) pelos árabes, no séc. XI e as melhores variedades de laranjeira doce (Citrus sinensis) pelos portugueses, no início do séc. XVI. A tangerineira (Citrus deliciosa), foi introduzida na Europa bastante mais tarde, já no início do séc. XIX.  

Aplicações

Muito cultivado pelo fruto (tangerina).

9 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco