Família

Rutaceae

Nome Comum

laranjeira, laranjeira-comum, laranjeira-da-China, laranja-cabaça, laranja-doce, laranja-de-espinho, laranja-de-prata, laranjeira-doce

Origem

Ásia (China).

Tipo de Origem

alóctone

Autor

(L.) Osbeck

Descrição

A laranjeira é uma árvore, que pode atingir 10 m de altura, provida de raminhos com poucos espinhos fracos. A copa é compacta, arredondada, com tronco provido de casca lisa, cinzenta, algo áspera. As folhas são oblongo-ovadas, simples, agudas no ápice e arredondadas na base, alternas, subcoriáceas, com poucas nervuras secundárias, e de cor verde-escura. As flores são aromáticas, solitárias e axilares, ou reunidas em cimeiras na axila das folhas; pequenas e brancas, com 4-5 sépalas e 5 pétalas. O fruto (hesperídio) é globoso a elipsoide, de epicarpo alaranjado ou amarelo-alaranjado em maduro, polpa adocicada e região axial permanecendo sólida. Sementes envolvidas por vesículas polposas, fusiformes e pediculadas.

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

árvore

Ínicio de Floração

abril

Fim de Floração

maio

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

solitária

Cor da Flor

branco

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

alterna

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

oblongo

Tipo de Fruto

hesperídio

Consistência do Fruto

carnudo

Maturação do Fruto

setembro

Habitat

Difícil de determinar devido à cultura intensiva da espécie

Observações

As laranjeiras são árvores originárias do sudoeste Asiático Tropical e Subtropical, cultivadas desde tempos remotos em todo o Extremo Oriente. A laranjeira-amarga chegou à Europa nos alvores dos tempos históricos muito antes da doce, introduzida pelos árabes na África do Norte e na Península Ibérica no séc. XV. Os seus frutos eram considerados frutos de luxo, reservados às pessoas abastadas.

É muito semelhante à laranjeira-amarga (Citrus aurantium), diferenciando-se pela casca fina e menos rugosa, de cor menos intensa, mas sobretudo pelo sabor do fruto, que é doce e não amargo.

Aplicações

A laranjeira é amplamente cultivada na região Mediterrânica, pelos seus frutos comestíveis (laranja-doce), e também pelos óleos essenciais que se extraem das flores e frutos, utilizados na indústria da cosmética. As laranjas contêm carotenos, inúmeras vitaminas, açúcares, ácidos orgânicos, aminoácidos, pectina e ácidos minerais. Além disso, antes da maturação, estado em que as suas virtudes atingem o apogeu, contêm heterósidos flavónicos que lhes conferem uma acção vitamínica P protetora dos capilares e preventiva de hemorragias. A polpa da laranja é tónica e as suas utilidades em cosmética são semelhantes à dos pepinos. Com a casca preparam-se, por destilação, essências aromáticas. A madeira, de cor marfim, é consistente e muito densa, sendo apropriada para tornearia e na confecção de objectos de artesanato.

57 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco