Família

Rosaceae

Nome Comum

cerejeira, cerejeira-brava, cerdeira

Origem

Quase toda a Europa, encontrando-se bastante dispersa na região Mediterrânica, Ásia Ocidental e norte de África. 

Tipo de Origem

autóctone

Autor

L.

Descrição

Árvore com até 30 metros de altura, caducifólia e inerme, com pernadas subpatentes e sem rebentos de raiz. Tronco grosso e bem definido, de casca cinzenta, quase lisa, que com o tempo fica mais escura e quebradiça. Raminhos castanho-avermelhados e glabros. Folhas simples, com 8 a 15 por 4 a 7 cm, obovado-oblongas, acuminadas, crenado-serradas, glabras mas baças na página superior, pendentes em novas; pecíolo com 2 a5 cm e 2 glândulas na base do limbo. Flores brancas, aromáticas, dispostas em cimeiras, 2-6-floras, sésseis, rodeadas na base pelos numerosos catafilos escariosos do gomo. Os frutos são drupas (cerejas) globosas, vermelho-escura (também amarelada, vermelho-vivo ou negra conforme as cultivares), doce ou ácida: monospérmica, endocarpo liso.

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

árvore

Ínicio de Floração

março

Fim de Floração

maio

Perenidade

caducifólia

Inflorescência

cimeira

Cor da Flor

branco

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

alterna

Margem da Folha

serrada

Limbo da Folha

obovado

Tipo de Fruto

drupa

Consistência do Fruto

carnudo

Maturação do Fruto

junho

Habitat

Sebes e bosques, especialmente de faias (Fagus sylvatica).

Observações

Os cultivares mais conhecidos são as chamadas ‘Moras de Verona’, ‘ Starking hard giant’ e ‘Precoz de Bourlat’. As cerejeiras cultivadas pertencem às espécies Prunus avium e Prunus cerasus, a ginjeira, este último, originário da Turquia, que se encontra por vezes no estado silvestre.

Aplicações

Os seus frutos, as cerejas, são algo laxantes e muito digestivos. Com eles se prepararam doces, e por fermentação, aguardente de cereja, denominada kirsch, muito apreciada no centro da Europa como digestivo. A cereja é aquosa e pouco nutritiva, apesar dos açúcares presentes. Fornece ao organismo uma quantidade notável de provitamina A, além de outras vitaminas do grupo B, ácidos orgânicos, tanino e flavonóides. A cereja é um fruto recomendado para curar os doentes pletóricos e reumáticos e, devido às suas vitaminas, às crianças e aos adolescentes. O sumo, convertido em xarope, é uma bebida refrescante. A polpa fresca, aplicada em máscara no rosto, tonifica a epiderme. A infusão dos pés de cereja é um diurético de comprovado uso popular.

A madeira da cerejeira é dura e pesada, de textura fina e cor castanha, sendo muito apreciada para móveis e revestimentos.

26 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco