Família

Fagaceae

Nome Comum

azinheira, azinho, sardão, sardoeira, carrasco (nordeste de Portugal)

Origem

Europa: região Mediterrânica.

Tipo de Origem

autóctone

Autor

(Desf.) Sampaio

Descrição

A azinheira é uma árvore perenifólia, de crescimento lento, que pode atingir os 25 m de altura, normalmente entre 8 a 12 m, com casca cinzenta, fendida em pequenas placas retangulares e copa ampla e arredondada. O seu tronco é direito, por vezes um pouco torcido. As folhas são simples, alternas, oblongas ou elípticas, de margem inteira ou providas de um número variado de dentes, especialmente as dos ramos inferiores. A coloração das folhas é verde-acinzentadas ou cinzentas na página superior e cinzento-esbranquiçadas com uma densa camada de pelos estrelados branco-amarelados na página inferior. As dimensões das folhas podem ser de 2 a 7 cm e a sua forma pode variar no mesmo exemplar. As flores masculinas (amentilhos) são abundantes, pendentes na parte terminal dos ramos. O fruto é uma bolota, com uma glande ovoide com pedúnculo curto e uma cúpula hemisférica em forma de dedal, com escamas quase planas

Tipo de Reprodução

monóica

Forma de Vida

árvore

Ínicio de Floração

abril

Fim de Floração

junho

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

amentilho

Cor da Flor

verde

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

alterna

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

oblongo

Tipo de Fruto

glande

Consistência do Fruto

seco

Maturação do Fruto

outubro

Habitat

Bosques esclerofilos mediterrânicos, em todo o tipo de substrato. Adaptado a suportar fortes secas estivais e climas duros continentais. Montados.

Observações

A azinheira é uma espécie muito variável, com inúmeras cultivares disponíveis. Árvore caraterística e importante dos bosques esclerofilos mediterrânicos, que constituem a vegetação potencial da maior parte da Península Ibérica. No seu habitat natural ocorre entre os 0 e 1400 m, podendo chegar aos 2000. Espécie de luz ou meia sombra, que resiste bem as temperaturas mínimas absolutas da Península Ibérica e à exposição marítima. A azinheira é uma espécie que pode ultrapassar os 300 anos, podendo chegar excecionalmente aos 1000. Em termos de nomenclatura científica há vários sinónimos: Quercus rotundifolia Lam., Q. ballota Desf., Q. ilex L. subsp. rotundifolia (Desf.) O. Schwarz ex Tab. de Morais.

Aplicações

A azinheira é uma árvore perenifólia, de crescimento lento, que pode atingir os 25 m de altura, normalmente entre 8 a 12 m, com casca cinzenta, fendida em pequenas placas retangulares e copa ampla e arredondada. O seu tronco é direito, por vezes um pouco torcido. As folhas são simples, alternas, oblongas ou elípticas, de margem inteira ou providas de um número variado de dentes, especialmente as dos ramos inferiores. A coloração das folhas é verde-acinzentadas ou cinzentas na página superior e cinzento-esbranquiçadas com uma densa camada de pelos estrelados branco-amarelados na página inferior. As dimensões das folhas podem ser de 2 a 7 cm e a sua forma pode variar no mesmo exemplar. As flores masculinas (amentilhos) são abundantes, pendentes na parte terminal dos ramos. O fruto é uma bolota, com uma glande ovoide com pedúnculo curto e uma cúpula hemisférica em forma de dedal, com escamas quase planas.

51 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco