Família

Caprifoliaceae

Nome Comum

viburno

Origem

Ásia Oriental (China).

Tipo de Origem

alóctone

Autor

Hemsley

Descrição

Arbusto ornamental sempre-verde, com ramos erectos, de 1 a 4 m de altura. Folhas ovadas, 20 cm de comprimento, agudas e obtusas, com a margem dentada irregularmente, página superior verde‑escura‑lustrosa. As folhas são muito rugosas e densamente pubescentes na página inferior. Flores brancas ou amarelas dispostas em panículas umbeliformes terminais. Os frutos são drupas, vermelhas ao princípio e negra na maturação.

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

arbusto

Ínicio de Floração

maio

Fim de Floração

julho

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

panícula umbeliforme

Cor da Flor

branco

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

oposta

Margem da Folha

dentada

Limbo da Folha

ovado

Tipo de Fruto

drupa

Consistência do Fruto

carnudo

Maturação do Fruto

agosto

Habitat

Bosques e matagais de altitude (700 a 2400 m).

Observações

As espécies autóctones e aclimadas do género Viburnum encontram-se entre os arbustos de jardim mais decorativos. Os seus frutos são venenosos para o homem, apesar do bom aspecto que têm. Somente os pássaros e pequenos mamíferos podem comê-los sem que qualquer mal lhes aconteça.

Existem algumas cultivares, tais como: “Roseum” com flores rosadas, tornando-se brancas com tons rosados e “Aldenhamense” com as folhas cor de ocre. 

Aplicações

Viburnum rhytidophyllum é uma espécie utilizada como ornamental em parques e jardins, contudo os seus frutos são tóxicos. A grande rugosidade das folhas e a densa pubescência da página inferior são inconfundíveis.

4 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco