Família

Melastomataceae

Nome Comum

tiboquina, quaresmeira-anã-roxa, quaresmeira, quaresmeira-anã, aranhas

Origem

América do Sul (originária do Brasil).

Tipo de Origem

alóctone

Autor

(de Candolle) Cogniaux.

Descrição

A Tibouchina urvilleana. é um arbusto ou pequena árvore com cerca de 1 a 4 m de altura, tardiamente caduca (marcescente) Os ramos são quadrangulares, as folhas ovado-elípticas ou lanceoladas, com 4 a 12 cm de comprimento por 2 a 5 cm de largura, com 5 a 7 nervuras, margem inteira e ápice acuminado, base obtusa ou arredondada e pecíolos com 5 a 20 mm de comprimento. Inflorescências terminais com cerca de 8 a 15 cm de comprimento, tipo cimeiras simples; cálice com os lóbulos lineares, com 12 a 15 mm de comprimento, caduco; corola com 5 pétalas, purpúreas, 25 a 40 mm comprimento; estames dimórficos. Os frutos são cápsulas deiscentes no ápice.

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

arbusto

Ínicio de Floração

julho

Fim de Floração

setembro

Perenidade

marcescente

Inflorescência

cimeira

Cor da Flor

violeta

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

oposta

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

lanceolado

Tipo de Fruto

cápsula

Consistência do Fruto

seco

Maturação do Fruto

novembro

Habitat

Floresta tropical do sul do Brasil.

Observações

O género Tibouchina compreende cerca de 240 a 350 espécies distribuídas pelo México e norte da América. Devido à imensa utilização como espécie ornamental, existem diversas cultivares resultantes de cruzamentos entre espécies utilizadas como ornamentais, sendo por vezes difícil identificá-las. Naturalizada na América do Sul e Nova Zelândia.

Aplicações

Tibouchina urvilleana é uma espécie muito utilizada como ornamental em parques e jardins, sendo cultivada em locais quentes. Muito atrativa pela sua folhagem macia e vistosas flores roxas.

8 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco