Família

Compositae

Nome Comum

eupatório

Origem

Sul da América do Norte e América Central, do México até à Costa Rica.

 

Tipo de Origem

alóctone

Descrição

Arbusto que pode atingir os 5 m de altura. Caules lenhosos, cilíndricos e estriados, com 2 a 4 mm de diâmetro, castanho-acinzentados, glabros. Folhas opostas, membranáceas ou algo coriáceas, pecíolo com 5 a 15 mm de comprimento, glabro; limbo lanceolado, com 4-10 cm de comprimento por 2-4 cm de largura, ápice agudo ou acuminado, margem inteira ou serrilhada a partir da parte mediana da folha, base acunheada com bordos revolutos; páginas, inferior e superior, glabras, glandulosas, com nervação pinulada. Flores reunidas em numerosos capítulos com 8-9 mm de comprimento, pedicelos pubescentes; invólucro cobrindo menos de metade da base da corola; brácteas dispostas em 3 séries; corola com cerca de 5 mm de comprimento, branca, glabra. Os frutos são aquénios com cerca de 3 mm de comprimento, algo pilosos no ápice, com sedas brancas. 

Tipo de Reprodução

hermafrodita

Forma de Vida

arbusto

Ínicio de Floração

julho

Fim de Floração

setembro

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

capítulo

Cor da Flor

branco

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

oposta

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

lanceolado

Tipo de Fruto

aquénio

Consistência do Fruto

seco

Maturação do Fruto

janeiro

Habitat

Solos húmidos, clareiras de florestas tropicais.

Observações

O restritivo específico, ligustrina, é alusivo às semelhanças das suas folhas com algumas espécies de ligustros (Ligustrum spp.)

Aplicações

As folhas são utilizadas na Guatemala para tratamento de diabetes e malária. Muito apreciado como ornamental em parques e jardins pela sua intensa floração.

21 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco