Família

Taxodiaceae

Nome Comum

pinheiro-guarda-chuva, pinheiro-guarda-chuva-do-Japão, pinheiro-guarda-sol-japonês.

Origem

Ásia (Japão).

Tipo de Origem

alóctone

Autor

(Thunberg) Siebold & Zuccarini

Descrição

Árvore que pode alcançar 35 m de altura, sempre-verde, com a copa piramidal e ramificação estendida e ascendente na parte mais alta da árvore. Possui folhas de dois tipos, escamiformes sobre os ramos compridos e folhas aciculares de 8 a 15 cm de comprimento dispostas em verticilos de 10 a 30. São de cor verde-escuro brilhante. Os verticilos encontram-se alojados uns nos outros, fazendo lembrar as varetas de um guarda-chuva. Flores masculinas agrupadas em densos glomérulos na extremidade dos ramos; flores femininas solitárias e terminais. Pinhas ovóides, de 5 a 10 cm de comprimento, acinzentadas, persistindo na árvore depois da disseminação das sementes.

Tipo de Reprodução

monóica

Forma de Vida

árvore

Ínicio de Floração

março

Fim de Floração

abril

Perenidade

perenifólia

Inflorescência

glomérulo

Cor da Flor

laranja

Tipo de Folha

simples

Inserção de Folha

verticilada

Margem da Folha

inteira

Limbo da Folha

acicular

Tipo de Fruto

pinha

Consistência do Fruto

seco

Habitat

Floresta mista de coníferas e de folha larga em áreas montanhosas com precipitação elevada, a altitudes entre 600 a 1500 m.

Observações

Sciadopitys, do grego skiados significa guarda-chuva e pitys significa pinheiro, alusivo à disposição das folhas. verticillata, do latim verticillatus-a-um, alusivo à disposição verticilada das suas folhas.

No Japão existem alguns exemplares notáveis, seculares.

Aplicações

Multiplica-se por sementes e tem um crescimento muito lento. A sua madeira é avermelhada, elástica e resistente; é utilizada em construções hidráulicas e para construir barcos. Produz um óleo utilizado na preparação de vernizes. Espécie com grande valor ornamental, normalmente de colecção. 

1 Exemplares no Parque


Porte


Folha


Flor


Fruto


Tronco